Logotipo Mayne Hortense

Precisa de uma advogada Especialista em Divórcio?

Fale Comigo Agora no Whatsapp
Mayne Hortense pode defender seus direitos em caso de divórcio, dissolução de união estável, partilha de bens, pensão alimentícia, guarda dos filhos.
Mayne Hortense é advogada há 16 anos, pós graduada em Direito Civil com ênfase em Direito de Família. 

Atende todo o Brasil online e tem escritório físico em Americana.
Me Chame Agora no Whatsapp

Divórcio

Se você está pensando em se divorciar, sugerimos a leitura desse artigo, no qual abordamos as principais dúvidas das pessoas acerca do divórcio.

O que é o divórcio?

O divórcio é o rompimento legal de vínculo de matrimônio entre cônjuges. Se um casal quer se separar, é pelo divórcio que vai conseguir a dissolução do casamento.

Existem diferentes meios de realizar o divórcio, como passaremos a explicar.
Qualquer que seja a forma de divórcio escolhida, é obrigatório que as partes estejam representadas por advogado.

Divórcio em cartório

O divórcio pode ser realizado de forma extrajudicial, ou seja, em cartório, através de escritura pública, sem a necessidade de processo na Justiça.

Para a realização de divórcio em cartório devem ser observados alguns requisitos:

  • Deve ser consensual (amigável);
  • Não pode ter filhos menores de idade ou incapazes;
  • A mulher não pode estar grávida.

Pode ser um único advogado representando os dois cônjuges.

Divórcio judicial

O processo de divórcio pode ser consensual (quando ambos os cônjuges estão de acordo com o divórcio) ou litigioso (quando as partes não conseguem chegar a um acordo).

Divórcio judicial consensual

Havendo acordo entre as partes, pode-se realizar o divórcio judicial consensual, que é mais rápido do que o divórcio litigioso.

Para esse tipo de divórcio, é necessário que o casal esteja de acordo sobre todos os termos do divórcio (pensão alimentícia, voltar a usar o nome de solteiro etc) e o juiz apenas homologará o acordo feito pelas partes.

No divórcio judicial consensual é possível que um único advogado represente o casal.

Divórcio judicial litigioso

Não havendo acordo do casal sobre o divórcio ou sobre os termos do divórcio (partilha de bens ou pensão alimentícia, por exemplo), o divórcio deverá ser judicial litigioso.

Nesse caso será necessário ingressar com ação judicial e cada cônjuge será representado por um advogado.

No processo, cada parte exporá suas alegações e o juiz conhecerá a situação, analisará as provas dos autos e proferirá sentença estabelecendo os termos do divórcio (por exemplo, como será a partilha dos bens).

Mas mesmo que o processo comece litigioso, em qualquer momento as partes podem fazer acordo através de seus advogados.

Documentos necessários para o divórcio

Dependendo do caso poderão ser necessários outros documentos, mas, em geral, o casal precisará dos seguintes documentos:

  • documentos pessoais;
  • certidão de casamento;
  • pacto antenupcial, se houver;
  • documentos dos bens a serem partilhados, como documento dos veículos;
  • escritura ou contrato dos imóveis, extratos bancários, etc;
  • certidão de nascimento dos filhos, se houver.

Partilha dos bens

As pessoas que estão pensando em se separar se preocupam com a divisão dos bens.

A partilha dos bens depende do regime de bens que foi adotado no casamento.

Explicaremos sobre a partilha do patrimônio quando o casal optou pelo regime da comunhão parcial de bens, que é o adotado pela maioria dos casais.

Neste regime, os bens adquiridos de forma onerosa durante o matrimônio integram o patrimônio do casal e, no caso de divórcio, serão divididos em partes iguais entre o casal.

Portanto, não serão partilhados os bens que um dos cônjuges recebeu em doação ou por herança, nem os bens que foram adquiridos durante o casamento mas em substituição a bens particulares de um dos cônjuges (exemplo: quando a esposa vende um imóvel que era dela antes de se casar e com o dinheiro compra outro durante o casamento).

Também não serão partilhados os bens que cada um já tinha antes do casamento.

Guarda dos filhos

A guarda dos filhos é uma questão muito importante, por isso é melhor que haja acordo entre os pais.

Se não houver acordo, a guarda será estabelecida pelo juiz e a lei determina que a guarda, sempre que possível, deve ser compartilhada.

Guarda compartilhada significa que ambos os genitores têm as mesmas responsabilidades, direitos e deveres em relação aos filhos. A criança morará com um dos pais e será definido um período de convivência com o outro genitor, para organizar a rotina de cada membro da família.

Se não for possível a guarda compartilhada, poderá ser atribuída a guarda unilateral a um dos genitores e fixados os horários de visita do outro genitor.

Pensão alimentícia aos filhos

O valor deve ser suficiente para custear as necessidades do filho, mas não pode prejudicar o sustento de quem paga a pensão.

Se não houver acordo sobre o valor da pensão alimentícia, o juiz que fixará.

Para chegar ao valor da pensão, o genitor que cuida da criança pode fazer uma planilha colocando todos os gastos (alimentação, estudo, saúde, vestuário etc).

Dessa forma, vê-se a necessidade da criança.

De outro lado, analisa-se os rendimentos de quem pagará a pensão, para saber a possibilidade, bem como observa-se a obrigação de ambos os genitores sustentarem os filhos.

Analisando a necessidade versus a possibilidade, o juiz chegará ao valor da pensão alimentícia devida, observando também o número de filhos, a quantidade de bens que quem pagará a pensão possui, o padrão de vida, dentre outros aspectos.

Pensão alimentícia ao cônjuge

Se um dos cônjuges não exerce trabalho remunerado e não tem possibilidade de voltar ao mercado de trabalho, quer seja pela idade avançada ou pela falta de qualificação, dentre outros motivos, pode pedir pensão alimentícia ao outro, a fim de garantir a subsistência após o divórcio.

Quanto tempo demora o divórcio?

O divórcio realizado em cartório é o mais rápido, demorando poucos dias.

O divórcio judicial consensual também costuma ser rápido, mas não é possível informar o tempo exato dele, nem do divórcio litigioso, porque depende do andamento do processo, pois tem Fóruns que os processos são mais rápidos e em outros são mais demorados.

Qual o custo do divórcio?

O valor dos honorários do advogado e os custos do divórcio dependerão da forma escolhida (cartório ou judicial), por isso, somente após a análise do caso concreto e dos documentos é possível informar os custos do divórcio.

União estável

Para os casais que vivem em união estável, a forma de pôr fim ao relacionamento é com a dissolução de união estável. Nesse caso são observadas as mesmas questões que explicamos sobre partilha dos bens, guarda dos filhos e pensão alimentícia, podendo também ser feita de forma consensual ou litigiosa.

Conclusão

Conforme exposto, a melhor forma de dissolução do casamento é por meio do divórcio consensual, que é mais rápido, menos custoso e causa menos sofrimento ao casal.

Contudo, se o casal tentou acordo e não conseguiu, o caminho é o divórcio litigioso.

Nesse artigo procuramos esclarecer as principais questões sobre o divórcio, mas se após a leitura você continuou com alguma dúvida, agende uma consultoria clicando no botão do whatsapp e responderemos todas as suas dúvidas.

Fale Comigo Agora no Whatsapp
OAB/SP 236.444
Telefone / WhatsApp: (19) 3407-8198
www.maynehortense.com.br
Rua Álvaro Ribeiro, 342, Vila Rehder, Americana-SP, CEP 13.465-400
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram